Email LundbergVisit Lundberg on FacebookVisit Lundberg on LinkedIn

OS COMEÇOS 1920-1950

A história da Lundberg data dos anos 1920,  quando Alerick Halver Lundberg começou a trabalhar para um fabricante de polpa processo sulfito na costa Este dos Estados Unidos antes de iniciar a trabalhar para a companhia J.D. Jennsen, um fornecedor líder de sistemas de produção de ácido e sistemas de recuperação para a Industria de Polpa processo Sulfito. No início dos anos 1930 Lundberg e a sua esposa se mudaram para Seattle, aonde ele começou a representação para a costa oeste para a J.D. Jennsen. Durante esse período, a industria de polpa em geral foi se movendo desde o processo sulfito ao processo Kraft, com muitas novas e grandes plantas sendo construídas nos estados do sul. A costa Oeste era a casa de numerosas plantas de processo sulfito, e a ordem  de sobrevivência delas as levou a modernizar e atualizar os seus equipamentos. Lundberg teve muito sucesso obtendo uma grande quantidade destes negócios para a J.D. Jennsen, e foi conhecido como “Sr Sulfite” ao longo da costa oeste.

Nos anos de 1930 Lundberg conhece Tore Ahlen a través de um dos seus contatos de negócios. Eles ficaram amigos e eventualmente parceiros de negócios.

Lundberg era muito exitoso como fornecedor para a industria de polpa ao sulfito, entretanto ficou claro para ele que o processo Kraft seria o futuro da industria. Ele começou a desenvolver negocios com companhias Escandinavas fornecendo equipamentos para o processo Kkraft, passando a representar Paper Machinery Ltd. (PML) e a Svenska Flaktfabriken (SF)  na costa oeste americana. PML era na epoca licenciado exclusivo da Karlstad Merkanske Werkstad (KMW), a companhia que se tornaria em uma das partes a conformar a companhia “Kamyr”.

Embora Lundberg foi ficando mais ativo na industria de polpa Kraft, continuou a servir a industria de polpa sulfito, eventualmente desenvolvendo uma serie de papers técnicos que foram recentemente publicados em formato de capa dura como  Acid Making in the Sulfite Pulping Industry in the mid-1940s.

A.H. Lundberg Incorporated 1951-1975

Em 1951 Lundberg formou sua companhia A.H. Lundberg, Inc. (AHLI), atuando como representante de algumas das mais importante companhias na industria de celulose. Em aquela época ele incorporou o seu filho Lennart Alerick Lundberg, quem tinha ganho extensiva experiência na industria quando esteve um ano em Karlstad, Suêcia, com Kamyr, trabalhando no desenvolvimento do Digestor Contínuo. Um evento importante aconteceu em 1953 quando SF cancelou o seu contrato de representação em Norte América, cortando o relacionamento entre AHLI e Kamyr. Además na metade dos anos 50 a General American Transportation, fornecedor de sistemas de evaporação,  fechou as suas portas. AHLI, junto com um ex empregado da GATC atuando como consultor, iniciou o seu próprio processo de evaporação, culminando nas sua primeira venda para a fábrica de Elk Falls, em Campbell River, B.C., no ano de 1955.

O ano de 1954 ademais trouxe à companhia a Ahlen Equipment, Ltd (LAEL), a qual era propriedade do A.H. Lundberg e o Tore Ahlen. A companhia foi formada pelos parceiros para servir à industria canadense de celulose. As historias da AHLI e a LAEL , assim como das suas companhias sucessoras, ficaram ligadas desde aquela época até os anos de 1980, devido as relações entre os Lundberg, pai e filho,  Ahlen e mais tarde Bob Muller. As companhias colaboraram para trazer inovação técnica e espirito empreendedor à industria de polpa e papel, particularmente nas costas oeste do Canada e dos Estados Unidos. Eles foram capazes de elevar suas reputações desde a costa oeste a través de Norte América e o mundo. Para aumentar sua presencia em Europa, as empresas desenvolveram relacionamento com um parceiro português, o que eventualmente levou a criação da A.H. Lundberg Limited (LDA) en Lisboa, Portugal no ano de 1969.

Além de representar a Kamyr e outros, e tendo desenvolvido sua propria tecnologia de evaporação, AHLI estava também desenvolvendo processos periféricos à linha de fibras. Os processos desenvolvidos foram diversos, acompanhando os processos ambientais (coleta e destruição de gases não condensáveis e segregação de condensados odorosos), recuperação de calor (do soprado de digestores batch e soprado na pasta termo-mecânica), e recuperação de sub produtos (terebentina e óleos).

Halvar retirou-se em 1967, em essa oportunidade o seu filho Lennart foi nomeado presidente da companhia. Com o retiro do Halver a companhía perdia também o seu contrato de representação com a Kamyr, e tornava-se mais dependente das suas próprias tecnologias. Afortunadamente a empresa tinha desenvolvido uma vasta gama de produtos para oferecer, e continuou a desenvolver novos processo para servir a industria de polpa e papel, incluindo sistemas de geração de dióxido de cloro, assim como sistemas concebidos para tratar as correntes de resíduos do processo.

LUNDBERG COMPRA GEOENERGY 2002-2013

Em 2002, Lundberg adquiriu a propriedade intelectual de Geoenergy International Corporation, a qual projetava e fornecia sistemas de controle ambiental para uma variedade de indústrias. Dentre os produtos estava incluso o precipitador eletrostático úmido (Wet ESP) e o oxidador regenerativo térmico / catalítico ( RTO / RCO). Junto com a aquisição de tecnologia do Geoenergy , Lundberg também trouxe a bordo ex- diretores da empresa, Steve Jaasund e Gary Raemhild , assim como vários outros ex-funcionários . Os produtos Geoenergy viriam a se tornar adições importantes para a linha de controle ambiental da Lundberg.

O ano de 2003 viu a Lundberg re ingressar no mercado europeu com o lançamento da AH Lundberg Systems, SL , localizada em Bilbao na Espanha. Juntamente com a extensa rede de representantes, Lundberg era uma verdadeira organização internacional, conduzindo negócios no setor de celulose e papel em praticamente todas as partes do mundo.

Em 2004 Fedler retirou se da presidência, mais manteve seu papel como conselheiro da empresa. Beckstrom tomou posse como presidente, usando seus conhecimentos técnicos e contatos na industria para a empresa continuar a crescer até sua aposentadoria em 2009.

A.H. Lundberg Associates, Inc. 1975-2013

Os anos de 1675 - 1976 trouxeram mudanças importantes para Lundberg. Novas companhias foram criadas, novas alianças foram formadas, e novas contratações foram feitas que teriam forte impacto no futuro da companhia. AHLI renasceu como A.H. Lundberg Associates, Inc. (AHLA) e LAEL foi reincorporada como A.H. Lundberg Equipment Ltd. (AHLEL). A nova companhia Lundberg abriu um escritório na Áustria para servir o mercado do Este Europeio. Devido a agitação civil e ameaças de nacionalização, o escritório de Portugal foi relocado para Bélgica.

O ano de 1975 também marcou a chegada de Elmer Guthrie, quem fora contratado para recuperar o controle de vários projetos que estavam em dificuldades. Ele tinha uma extensa experiência em gerenciamento de projetos com suas companhias anteriores, e fora descrito como Muller como sendo “.. .o futuro homem da hora”. Várias outras figuras importantes seriam incorporadas durante este marco de tempo, o que daria importante crescimento à empresa. Bruce Beckstrom iniciou se como Diretor Técnico em 1977, continuando com o foco de innovção técnica da empresa. Rudy Mksa foi contratado como Gerente de Vendas da Região Sul em 1981. Ambos eram na época bem conhecidos na industria nas suas regiões, e junto com Guthrie e Beckstrom foram instrumentos para o crescimento da companhia a través dos Estados Unidos.

Mais tumulto ocorreu por AHLA em 1983. Desentendimentos entre proprietários resultou na saída de Lennart Lundberg de AHLA. Além disso, as parcerias com as empresas Lundberg Europeias foram dissolvidos, deixando apenas os escritórios no Estado de Washington e da British Columbia. Como Lundberg passou a buscar outras oportunidades, Guthrie foi nomeado presidente da AHLA. Guthrie lideraria AHLA durante os anos 1980 e 90. Este período viu um aumento na legislação ambiental nos Estados Unidos, especialmente no nível estadual . Outra mudança no ambiente de negócios na indústria foi um movimento em direção dos projetos ‘chave em mãos”  ou contratos EPC. Lundberg foi muito bem sucedida com projetos ambientais, e este sucesso , juntamente com sucesso com contratos EPC , levou a uma franco crescimento durante este período.

Guthrie retirou-se em 1999, e Joe Fedler foi nomeado presidente da empresa. Fedler ingressou na companhia em 1981 como engenheiro de projeto, subindo na hierarquia para liderar o departamento de produção. Como presidente, Fedler liderou uma das principais adições à linha de produtos Lundberg.

O LEGADO LUNDBERG CONTINUA 2013-

No avanço da Lundberg no século 21, mantemos nosso foco na indústria de celulose e papel, ajudando os clientes em todo o mundo com o suas necessidades Ambientais, de Evaporação, Economía de Energia e Processamento Quimico. Também continuamos a fornecer sistemas de proceso e soluções para ajudar companhias de uma vasta gama de industrias a alcançar as exigências ambientais. Enquanto miramos para o futuro, valoramos o legado de aqueles que trouxeram aonde estamos hoje. Seus projetos e desenhos inovadores não somente trouxeram crescimento e sucesso à Lundberg, mas tambem melhoraram as industrias que servimos e o meio ambiente em que vivemos. O processo de valorizar o passado enquanto miramos corajosamente para o futuro por oportunidades de servir aos nossos clientes e melhorar o meio ambiente é o que chamamos de “O Legado Lundberg.”